Escrever é viver duas vezes um bom Momento.
Antonio C Almeida
SOMOS TODOS POETAS
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

DAS PEDRAS DE UM AMOR

Até uma flor 
Sabe a quem serve odor ou espinhos.
Quem sabe do amor
Reconhece rancor ou carinho.
 
Quem lança uma pedra
Sabe a direção certa
Onde lança em seta
A quem deve doer.

Como pode sofrer
Num toque em espinhos
Quem não negava carinho
A quem parecia querer.

Tratei da cicatriz,
Coloquei colírio nos olhos em chafariz.
Assoei o nariz
Xinguei quem quis.

Nova meia,
Novo calçado.
Novas calças,
Novo casaco.

De tudo do novo me fiz
Quem vive por um triz
De voltar ao passado
E reviver o sentimento guardado.

Até uma flor 
Sabe a quem serve odor ou espinhos.
Quem sabe do amor
Reconhece rancor ou carinho.

07/12/2015
Antonio C Almeida
Antonio C Almeida
Enviado por Antonio C Almeida em 16/12/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários