Escrever é viver duas vezes um bom Momento.
Antonio C Almeida
SOMOS TODOS POETAS
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


TRAVESSIAS

Se não entendo tento
Compreender mesmo que siga ao vento
Uma incerteza que chega e parte
No balançar das árvores.

Melhor assim
Que sofrer sem fim
Na angustia de uma busca
Que padece ao anoitecer.

Toda manhã no sereno encanta
Encontrar uma nova dança
Que aquece o rosto com o gosto
De deslumbrar novas alianças.

Num sopro suave no rosto
Deixar o que ontem arrefeceu em desgosto
Aproveitar o perfume duma manhã
Capaz de fazer esquecer
O que foi no apenas talvez
Na ultima gota que desce frouxa
Solta no vento no tempo
Que umedece boca
Calando voz rouca
Equivocada nas estradas.

Permito que o barco corra
Correnteza que decorra
Travessias dum barqueiro indo
Nas águas de seu destino.
Antonio C Almeida
Enviado por Antonio C Almeida em 19/10/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários